segunda-feira, 29 de outubro de 2012

A Concha do Amor
Guardamos-nos
Escondemos-nos
Vamos para o fundo do mar
Quietinhos nós ficamos
Mas a onda vai nos buscar
Feito aranha que produz teia
Feio o mar que beija a sereia
Quando menos esperamos
Lá estamos nós, caídos da areia
Alguém nos pega com amor
Alguém nos pega com o coração
Diz-se que de nós se ouve o barulho do infinito
Mas na verdade é nossa paixão
Que cercada e envolta pelo amor
Esconde-se por proteção
Tem medo de ganhar o mundo
E se machucar de novo numa ilusão
Vento do litoral
Toque meu corpo e meus cabelos
E por favor, não me faça mal
Não me deixe sozinho sem saber o que sonhar
Leve-me correndo de volta
Pro fundo do mar.

By Everson Russo
evrediçõesmusicais©®
Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98

2 comentários:

Pedro Luis López Pérez disse...

Preciosa Poesía de Amor y Mar...de una sal dulcemente acariciada por la presencia de dos cuerpos totalmente enamorados.
Un abrazo.

lis disse...

Bela poesia poeta!
Muito romantismo e sensualidade juntos.
Beijos amigo.